Consumidores deixam de comprar em empresas denunciadas por infringir causas sociais? Preferem marcas comprometidas com a ética e interesses socioambientais? Essas e outras perguntas são respondidas em pesquisa inédita encomendada pelo Movimento ModaComVerso.

A resposta é que 80% dos entrevistados deixariam de adquirir determinado produto de marcas envolvidas em denúncia ou acusação relacionadas à causas sociais, 76% estão dispostos a pagar um pouco a mais em produtos de empresas comprometidas com interesses socioambientais e 48% dos consumidores preferem produtos de empresas que apoiam alguma ação.

Outra informação revelada pela pesquisa é que para os brasileiros, o combate ao racismo é a causa de maior relevância que a indústria têxtil deveria promover, seguida pelo combate ao trabalho forçado.

Os dados confirmam que consciência social é tendência e que, a cada dia, os consumidores questionam mais as empresas sobre seu papel social, além de estarem tentos à sua participação na promoção de uma moda socialmente responsável.

Pois, ao adquirirem produtos de empresas conscientes, estão contribuindo diretamente com a manutenção de uma cadeia produtiva socialmente responsável.

Os resultados mostram que os esforços dos 17 varejistas, 3.715 fornecedores e 16 organizações da sociedade civil que participam do Moda ComVerso fazem todo o sentido para os consumidores, além de estimular outras empresas a aderirem ao Movimento que reúne organizações comprometidas com boas práticas trabalhistas, com o combate ao trabalho escravo, o infantil e irregular, além da redução da informalidade do setor, em todos os elos da cadeia de valor da moda.

Atualmente, mais de 391 mil trabalhadores diretos na produção são beneficiados com seus direitos garantidos e boas condições de trabalho. E o movimento busca dar mais visibilidade às empresas que aderem a esta causa.

Quem analisa a aplicação dessas boas práticas é a Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX) por meio de auditorias realizadas pelo Programa ABVTEX que promove o desenvolvimento e monitoramento da cadeia produtiva.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto Locomotiva, em parceria com a consultoria CAUSE por solicitação do movimento ModaComVerso que é liderado pela Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX).

 

Sobre o ModaComVerso

O Movimento ModaComVerso surgiu a partir do Programa ABVTEX, criado em 2010, e que desde então conta com mais de 3.715  empresas fornecedoras aprovadas e realizou mais de 46,5 mil auditorias em 636 municípios e 17 estados.

Em 2021, o Programa ABVTEX se tornou a primeira iniciativa brasileira de combate ao trabalho escravo reconhecida pelo Modern Slavery Map, uma ferramenta que destaca globalmente instituições que atuam contra formas de trabalho escravo moderno no mundo. Esse reconhecimento também se traduziu em premiações: em 2018, 2019, 2020 e 2021 recebeu o Selo de Direitos Humanos e Diversidade, atribuído pela Prefeitura de São Paulo; e, em 2018, recebeu o Prêmio de Direitos Humanos, concedido pelo Governo Federal.

 

Sobre a ABVTEX

A Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX), fundada em 1999, é a entidade que congrega as mais representativas redes nacionais e internacionais de varejo de moda, que comercializam itens de vestuário, calçados, acessórios e artigos têxteis para o lar. É a principal interlocutora do setor junto a entidades ligadas à indústria, comércio e serviços; autoridades dos governos federal, estaduais e municipais; ONGs e associações; imprensa; e a sociedade em geral.

 

Sobre a CAUSE

A CAUSE é uma consultoria que conecta marcas e organizações às causas do nosso tempo a partir de ações de conscientização, engajamento e mobilização de diversos atores da sociedade por meio de estratégias integradas de comunicação, engajamento e advocacy em torno de causas transformadoras.

 

Sobre o Instituto de Pesquisa Locomotiva

Fundado por Renato Meirelles, o Instituto Locomotiva transforma resultados de pesquisas em estratégias, conhecimento e ações para que empresas, instituições públicas e organizações do terceiro setor dialoguem com consumidores e cidadãos cada vez mais exigentes.