Cenários
Transformadores

Não podemos prever ou controlar o que virá, mas podemos influenciar o que está vindo. Os cenários transformadores – histórias que descrevem o que pode acontecer no futuro – permitem inspirar e estimular a elaboração de estratégias, decisões e ações no presente que influenciam o futuro.

No Colabora Moda Sustentável, criamos quatro cenários sobre o futuro da moda no Brasil em 2035. Eles ampliaram o entendimento sistêmico do setor e serviram de insumo para criar e prototipar soluções colaborativas capazes de melhorar a sustentabilidade na cadeia da moda nos próximos anos.

4 Critérios para a
criação de cenários:

Relevantes

Cenários devem abordar questões importantes para quem tem interesse no tema

Desafiadores

Cenários devem ajudar as pessoas a olhar para opções antes impensáveis ou imperceptíveis e desafiar a maneira atual de pensar sobre a realidade

Plausíveis

Estão baseados em fatos e possuem uma lógica, são razoáveis e as pessoas enxergam que os cenários podem ocorrer

Claros

Cenários devem ser fáceis de lembrar e simples de descrever, sendo possível distinguir as particularidades de cada história

Metodologia para
construção

A construção dos cenários segue um processo rigoroso, que é, ao mesmo tempo, analítico e criativo. Conheça as principais etapas que percorremos:

1

Cocriação de soluções: oportunidade de prototipar soluções de sustentabilidade para o setor que sejam efetivas para todo o sistema

2

Definição do horizonte de tempo dos cenários

3

Mapeamento das forças motrizes, ou seja, aquelas forças sociais, tecnológicas, ambientais, econômicas e políticas que podem ter grande impacto nos temas do mapa de preocupações

4

Classificação das forças por impacto. O que mais importa são as forças que têm alto impacto

5

Classificação das forças por previsibilidade. Considerando as forças de maior impacto, aquelas de maior previsibilidade são as certezas sobre o sistema no futuro, e passam a compor todos os cenários. No caso do Colabora Moda Sustentável, foram sistematizadas nove certezas sobre o futuro da moda no Brasil em 2035:

a) a qualidade das políticas públicas impactará o setor
b) haverá mudança de comportamento do consumidor
c) haverá uma ressignificação do que é força de trabalho
d) o fluxo migratório continuará
e) o lucro continuará impactando decisões nas empresas
f) a tensão entre lucratividade e sustentabilidade ainda será presente na mentalidade do setor
g) as mudanças climáticas afetarão a disponibilidade de recursos naturais, levando a rearranjos na cadeia
h) a tecnologia impactará o setor do vestuário na forma como produzimos, comercializamos e nos relacionamos com a moda
i) o consumo de vestuário continuará

6

Definição das incertezas, as forças motrizes com menor previsibilidade diferenciam um cenário do outro, levando a diferentes futuros

7

Criação das histórias com fatos que levaram a cada um dos cenários

Um conjunto de quatro
cenários feitos coletivamente

COSTURA SOLTA

Retrocesso generalizado com conflitos políticos e econômicos, individualismo generalizado e o protecionismo no comércio internacional levam a um mercado da moda fundamentalmente orientado ao lucro. A colaboração entre os setores é frágil. A economia brasileira está em crise e o investimento em educação e tecnologia é baixo. Há poucos mecanismos de controle social sobre o trabalho precário, situação que é agravada pelo aumento do desemprego provocado pela substituição de mão de obra por produção automatizada e por fluxos migratórios intensos no continente.

COSTURA AMARRADA

Há predomínio da força do Estado interventor, buscando regular as ações dos demais setores. O Estado detém o monopólio do Big Data e a fiscalização aumenta na cadeia produtiva da moda, tanto nas questões trabalhistas, como ambientais. A baixa participação na construção das políticas públicas diminui a inovação e investimentos em tecnologia, que vem do setor privado. O diálogo é enfraquecido e a desigualdade persiste. Os shoppings são os espaços preferenciais para experienciar o consumo, o comércio online predomina.

COSTURA EM REDE

A colaboração entre estado, empresas e sociedade civil organizada assume um papel estratégico no país com a união entre elos da cadeia. Questões sociais e ambientais ganham relevância na medição dos resultados da cadeia da moda em geral e das empresas que a compõem. Há um forte investimento em ciência e tecnologia. Diminuem as vagas de trabalho no setor, em função do avanço tecnológico, mas melhoram sensivelmente as relações trabalhistas. O Brasil entra na era da customização da moda, com descentralização da produção e difusão de minifábricas e o consumidor exige produtos mais sustentáveis.

CYBERCOSTURA

Saltos tecnológicos disruptivos seguidos e mudanças na consciência do consumidor transformam o mundo da moda. Novos materiais substituem matérias primas convencionais, a produção se moderniza e a formação dos profissionais é diversificada e aprofundada. Há grande redução de postos de trabalho, mas diminuem as condições de trabalho precários e são criados novos mecanismos de proteção social – como diminuição da jornada, para garantir mais emprego. A economia da moda caminha para um modelo circular, em decorrência da crise ambiental que afeta a consciência da sociedade e a pressão por uma produção sustentável.

Os quatro cenários criados refletem o que a equipe do projeto, em conjunto, imaginou que pode vir a acontecer no futuro da moda no Brasil até 2035.

Confira os Cenários sobre o
Futuro da Moda no Brasil em 2035

A tabela a seguir tem o intuito de facilitar a comparação entre os quatro cenários a partir dos diferenciadores definidos pela equipe do projeto.

leia a tabela comparativa