A atividade é promovida pelo Instituto Trabalho Decente e tem apoio do Colabora Moda Sustentável e do Instituto C&A

 

No Brasil, a desigualdade racial é um eixo estruturante dos padrões de desigualdade social e possui relação direta com a pobreza. Essa condição não escapa à cadeia produtiva da moda, que tem as pessoas negras entre a maioria dos trabalhadores informais e sem proteção social, bem como daqueles em trabalhos precários e mal remunerados, dos trabalhadores infantis e entre os resgatados do trabalho escravo. 

Embora muitas empresas estejam assumindo compromissos públicos com a igualdade racial, falta um longo caminho para que o setor consiga se tornar um ecossistema plural e diverso. Um dos motivos dessa demora, segundo a advogada Patrícia Lima, diretora do Instituto Trabalho Decente, é que, no Brasil, falta conhecimento sobre o racismo. Sem se aprofundar sobre o contexto, fica difícil agir contra uma questão tão estrutural:

“Precisamos ir fundo nos porquês, já que a mudança começa pelo reconhecimento e pela contextualização do problema. Só assim as organizações conseguirão construir estratégias efetivas”. 

____ Patrícia Lima, diretora do Instituto Trabalho Decente

Como enfrentamento ao racismo na moda, Patrícia lançou há alguns meses, para algumas lideranças do setor (pessoas dispostas a agir na promoção da igualdade racial e por meio de ações afirmativas), o convite para o Chama: I Encontro de Formação Antirracista na Moda. Trata-se de uma oficina com duas manhãs de duração e o objetivo de desenvolver pessoas com posições estratégicas e condições de influenciar as estruturas onde atuam.

“A moda é um dos principais setores que mais empregam no Brasil, com força na economia. Precisamos de um diálogo propositivo”.

____ Patrícia Lima, diretora do Instituto Trabalho Decente

O encontro faz parte da iniciativa “Formação de lideranças para a promoção da igualdade racial”, proposição do Instituto Trabalho Decente contemplada em nosso Edital Recurso Semente de 2021. Na origem desse movimento está o Encontro Nacional do Colabora de 2020, quando muitos participantes manifestaram interesse em se aprofundar na temática racial. Passados muitos meses, celebramos o fato de uma proposta tão importante ter sido gerada em nossas atividades – como resume nossa diretora em suas palavras:

“A iniciativa do ITD é fundamental para o avanço da agenda da sustentabilidade e da moda regenerativa porque foca na promoção da igualdade dentro das empresas do setor. Quando olhamos para as questões climática e social, percebemos que a igualdade é necessária tanto para aumentar a diversidade nas nossas equipes quanto para contribuir com a justiça social e a equidade em toda a sociedade. Precisamos da diversidade para enfrentar os desafios que enfrentaremos no futuro, com a inteligência que só emerge dela.”

____ Lucilene Danciguer, diretora do Colabora Moda Sustentável 

 

Além do apoio do Colabora Moda Sustentável, o encontro promovido pelo Instituto Trabalho Decente conta ainda com o apoio institucional do Instituto C&A e do apoio executivo da Casa Salô e da Cora Design.