Uma jornada de aprendizado leva tempo, além de exigir dedicação e presença de muitas pessoas. Aqui estamos falando sobre o Encontro Colabora Moda 2021 – nosso evento que reuniu uma série de especialistas em moda e sustentabilidade durante três momentos, ao longo de três semanas. Mas estamos falando também sobre como tem sido absorver, coletivamente, as informações necessárias para operar uma mudança enquanto ela já está em curso. 

Com toda a pressa que o enfrentamento das crises ambiental, humanitária e econômica têm exigido, temos nos desdobrado para estudar e construir novos caminhos com compromisso e responsabilidade. O senso de urgência, afinal, não pode nos empurrar para análises superficiais, que não considerem pesquisas e evidências. Assim, o Encontro Colabora Moda 2021 foi uma oportunidade de aprofundamento e de olhar para o papel de cada ator na mudança da moda para a regeneração. 

Os números de visualizações, nosso modo de “encher a sala” enquanto seguimos no online, nos alegraram muito. No total, tivemos 647 pelo YouTube (até o dia 29/10/2021) e 155 na Plataforma Webinar, exclusiva aos membros Colaborantes. Como sempre acontece quando estamos juntos, além de estudar renovamos o fôlego para seguir refazendo a moda. 

 

A REGENERAÇÃO ESTÁ MESMO “DO OUTRO LADO” DA PANDEMIA?

O tema central do nosso Encontro, a regeneração, é inspirada na meta da década conforme a ONU de restaurar e curar a Terra . Temos até 2030 para reverter o quadro de mudanças climáticas e restaurar os ecossistemas degradados para termos um planeta saudável para todos os seres humanos e as demais formas de vida no presente e no futuro. No nosso caso, com as lentes da moda. 

Antes de passar o microfone aos convidados, nossa diretora Lucilene Danciguer apresentou um breve contexto acerca do tema. Voltou ao início da pandemia, quando sentimos necessidade de olhar para o futuro em busca de um norte para ação. Foi lá que entendemos que, embora a sustentabilidade estivesse em perigo em algumas áreas da cadeia de valor, as empresas que a adotassem estariam entre os líderes de uma moda ressurgente. 

Lucilene lembrou que, entrando em 2021, vimos as catástrofes ambientais se ampliarem e se espalharem no planeta. A restauração dos ecossistemas – declarada pela ONU como medida para combater a tripla emergência ambiental (perda de biodiversidade, disfunção climática e poluição crescente) – nos inspirou a dedicar ao tema o Encontro Colabora Moda 2021, um aguardado momento de imersão. 

Queremos sair de um sistema degenerativo para um sistema regenerativo, em uma jornada que inclui mudar nossas práticas: começa pela sustentabilidade neutra, evolui para fazermos coisas pela natureza e chega no modo regenerativo, em que humanos vivem como parte da natureza (uma separação que se impôs nos últimos séculos, em especial após a industrialização, mas que precisa ser desfeita).

Hoje, vivemos um momento em que o custo de ficarmos parados, sem mudar nada na forma como produzimos e consumimos, pode ser três vezes maior do que o custo da restauração. Uma moda a serviço da vida, que ajude a regenerar o planeta e a torná-lo um lugar justo e seguro para a humanidade, é o que planejamos como fruto desse movimento. 

 

PARA RELEMBRAR: OS OBJETIVOS DO ENCONTRO COLABORA MODA 2021

  1. Entender como construir a moda sustentável e regenerativa na década de 2020;
  2. Compreender como a equidade e o trabalho decente podem alavancar a moda regenerativa;
  3. Discutir os avanços e limites dos principais instrumentos para construir a moda regenerativa como: formação de profissionais, comunicação, indicadores, rastreabilidade e certificações;
  4. Definir quais iniciativas/soluções precisamos colocar no mundo para construir a moda sustentável regenerativa que queremos;
  5. Fortalecer as capacidades e o relacionamento entre os atores e organizações do setor.

 

DIA 01 // EMERGÊNCIA CLIMÁTICA E MODA REGENERATIVA: ONDE ESTAMOS E PARA ONDE DEVEMOS IR. 

Na primeira das três sessões do Encontro Colabora Moda 2021, nos dedicamos ao tema da crise climática. Com dados e análises, nossos painelistas mostraram que a gravidade do cenário atual deve servir de ponto de partida para uma transformação profunda, feita por muitas pessoas.

Moderação: Fernanda Simon, Fashion Revolution Brasil.

  • O Impacto Socioambiental do que Vestimos e Calçamos – Urbano Lorea e Mariana Greenman, JGP Asset Management.
  • Metas baseadas em Ciência – Ligia Ramos, Pacto Global.
  • Moda Circular: o que estamos fazendo no Brasil? – Victória Santos, SENAI CETIQT.
  • Começando a mudança pelas fibras – Silvio Moraes, Textile Exchange.

 

 

Clique e confira algumas das principais reflexões dos convidados no Instagram @colaboramodasustentavel!

 

Após o painel, 32 membros Colaborantes seguiram para o trabalho em grupo, que contou com a apresentação de casos da Renner (representada por Eduardo Ferlauto) e da Textile Exchange (representada por Silvio Moraes). 

À tarde, Itiana Pasetti, da Revoada, apresentou a iniciativa Ressignificação de Resíduos – RE.IN.VENTA –, realizada em parceria com a Cora Design e o Movimento Eu Visto o Bem. 

 

DIA 2 // COMO A PROMOÇÃO DO TRABALHO DECENTE E DA DIVERSIDADE IMPACTAM NA MODA?

No segundo dia do Encontro Colabora Moda 2021, o debate aconteceu em torno dos aspectos sociais da recuperação dos ecossistemas, que passa pelas relações humanas. As pesquisas apresentadas trouxeram dados ligados às condições de trabalho na moda brasileira, bem como aos efeitos da pandemia nos negócios. Mostrou também os recortes de raça e gênero que determinam inúmeras e graves diferenças entre quem faz a moda do país. 

As soluções para a desigualdade na moda são complexas e colaborativas. O primeiro passo para a mudança é tomar consciência dos problemas.

Moderação: Gustavo Narciso – Instituto C&A 

Painelistas:

  • Patrícia Lima, Instituto Trabalho Decente – Trabalho decente e diversidade, do que estamos falando? 
  • FGV CeDHE (Centro de Direitos Humanos e Empresas) – O combate ao trabalho escravo na indústria da moda – Recomendações para os setores público e privado. Com Rafaella Monesi e Giovana Pereira.
  • Verônica Couto, Sebrae Nacional – Os impactos da Covid nos pequenos negócios de moda.
  • Barbara Poerner, ELLE Brasil – O que mudou no setor desde os protestos Vidas Pretas Importam?

 

 

Clique e confira algumas das principais reflexões dos convidados no Instagram @colaboramodasustentavel!

 

Após o painel, 36 membros Colaborantes seguiram para o trabalho em grupo, que contou com a apresentação de casos e dinâmica de cocriação. Como convidados, o projeto Vozes da Moda (representado por Milena Prado, do DIEESE) e Sankofa (representado por Rafael Silvério, do VAMO), além de Gustavo Narciso (Instituto C&A) e Amélia Malheiros (Fundação Hermann Hering) que trouxeram o papel da filantropia estratégica e colaborativa.

À tarde, as iniciativas tiveram destaque e puderam apresentar seus resultados para o público. Cristina Filizzola (Aliança Empreendedora) e Cristina Chiara (Estilistas Brasileiros) receberam interessados em conversar sobre a Campanha para inserir os micro e pequenos negócios de costura no acesso ao mercado justo. Em seguida, Laura Madalosso e Raquel Chamis (Cora Design), receberam interessadas na Liga, que é uma jornada feminina para sustentabilidade na moda, em formato de curso online, apoiada pelo Recurso Semente. 

 

DIA 3 // INSTRUMENTOS PARA A MODA SUSTENTÁVEL: RASTREABILIDADE, INDICADORES, FORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO.

Os instrumentos para tomada de consciência sobre os impactos negativos da indústria da moda já existem. Então, o que falta para tornar a mudança mais efetiva e acelerar a solução dos graves problemas socioambientais gerados por nosso setor? O terceiro dia de Encontro Colabora Moda 2021 reuniu especialistas para mergulhar nesse debate, que acabou sendo um convite à ação coletiva. Um convite para acelerar o caminho para uma moda mais regenerativa no setor que implica, entre outras coisas, dar  transparência e ter coragem de assumir nossos problemas e decidir enfrentá-los com atitudes e ações. Também exige uma comunicação entre os atores do setor, uma comunicação intensiva e ativista com os consumidores, e pelo desenvolvimento de novos modelos de negócios que não impliquem em crescimento infinito de vendas e consumo.  

Nossa gestora, Thayne Garcia, também apresentou as Recomendações – que endereçam medidas concretas para diferentes elos da moda – e lembrou que a consulta pública está aberta até o dia 15 de novembro: acessar agora!

Moderação: Yamê Reis 

Painelistas: 

  • Jeremy Lardeau, Sac e Higg Index
  • Eloísa Artuso, Índice de Transparência da Moda
  • Edmundo Lima, ABVTEX
  • Giovanna Nader, Projeto Gaveta
  • Amanda Costa, Perifa Sustentável 

 

 

Clique e confira algumas das principais reflexões dos convidados no Instagram @colaboramodasustentavel!

 

Após o painel, 22 membros Colaborantes seguiram para o trabalho em grupo, que contou com a apresentação de casos do Grupo Soma (representado por Carol Poyes e Leandro Isaias), da Blockforce (representada por André Salem) e da Trama Afetiva (representada por Jackson Araújo). 

À tarde, três iniciativas encerraram as atividades do Encontro Colabora Moda 2021, recebendo Colaborantes interessados em conhecê-las mais a fundo: a escola pluricultural Ewa Poranga, representada por Júlia Vidal, o Projeto RELiga, representado por Luiza Tamashiro – que quer mostrar como a moda pode ser plural na prática – e o Nossa Moda Sustenta, que, representado por Lívia Salomoni, mostrou os aprendizados de uma série de três webinários sobre a moda que queremos sustentar. 

Bora colaborar? Compartilhe nos nossos canais – Instagram e Linkedln – suas reflexões.