Fazer com que um setor tão heterogêneo quanto a moda brasileira atue em conjunto já é desafiador. Unir diferentes empresas e organizações, até então vistas como concorrentes, por uma causa emergencial – a transição para a sustentabilidade – é ainda mais. E esses são apenas alguns dos objetivos das Recomendações para a Moda Sustentável Brasileira, um documento que está pronto para orientar grandes mudanças na forma de produzir, vender e consumir roupas no Brasil. 

A iniciativa, que resultou em 17 medidas concretas para transformar a moda brasileira, foi conduzida pelo Colabora Moda em formato de cocriação: além de reunir especialistas, passou por uma consulta pública no ano passado. Agora, as Recomendações serão oficialmente lançadas ao público, na expectativa de que ao serem adotadas, possam auxiliar a reverter os impactos causados e a destravar e impulsionar o avanço de soluções, tornando-a mais ética e sustentável, colocando a cadeia em um novo ciclo de desenvolvimento.

O marco dessa nova etapa das Recomendações para a Moda Sustentável Brasileira acontece no dia 25 de janeiro de 2022, às 18h30, no primeiro dia do Salão Inspiramais Temporada 2023_I, em Porto Alegre, no Centro de Eventos FIERGS. Participam do evento alguns dos membros integrantes da plataforma, como Verônica Couto (Sebrae Nacional), Laura Madalosso (Cora Design), Itiana Passeti (Revoada), o estilista Walter Rodrigues e a diretora do Colabora Moda, Lucilene Danciguer. Na ocasião, será também lançado um vídeo sobre o tema, produzido pelo estúdio de motion design Berro Motion. 

Clique e acesse mais material gráfico no nosso Mídia Kit!

Lembrando que as Recomendações têm caráter inédito na moda brasileira e potencial para engajar diversos elos do setor. Mas, para garantir sua eficácia, precisam de grande apoio de pessoas e organizações. Só assim será possível dar potência e concretude às medidas, agrupadas em 5 grandes necessidades:

 

1) Desenvolvimento da cadeia e do ambiente de negócios;

2) Aumento da oferta de capital;

3) Fortalecimento do ecossistema da moda e de suas organizações e atores;

4) Ambiente legal e regulatório favorável;

5) Geração e disseminação de conhecimento.

 

Conheça mais sobre as Recomendações e faça acontecer uma moda brasileira mais sustentável!